Defensoria faz inspeção em presídio de Parintins e aponta superlotação


Apesar de estar superlotada, a unidade prisional localizada na sede do município de Parintins (a 328 quilômetros de Manaus) está razoavelmente organizada e os defensores que atuam no Polo Zeca Pontes, da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) inaugurado no final de novembro passado, informam que a partir de janeiro, iniciam avaliação dos processos de execução dos presos para tomada de medidas cabíveis para reduzir o número de presos.

A inspeção na unidade foi feita pelos defensores públicos Inácio Araújo Navarro e Marcos Roberto D’Agnessa Trippo. De acordo com a diretora do Polo Zeca Pontes, defensora Lorena Torres dos Rosário, o relatório comprovou a existência de 12 celas, sendo uma feminina e 11 masculinas, todas em condições razoáveis abrigando 118 presos, entre os provisórios e sentenciados. A capacidade da unidade, no entanto, é de 36 presos.

O relatório aponta, inclusive, não haver separação entre os presos provisórios e os condenados/sentenciados, mas os presos realizam banho de sol no período da manhã e da tarde, por duas horas, havendo separação de sexos para esse acontecimento.