Defensoria do Amazonas participa da Jornada Nacional da Leitura no Cárcere

Evento com apoio do CNJ ocorre desta quarta-feira (5), até sexta-feira (7) com transmissão on line de palestras e rodas de conversa


A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) participa nesta quarta-feira (5) da Jornada Nacional da Leitura no Cárcere, que ocorre até sexta-feira (7). Durante a jornada, agentes da administração penitenciária e da Justiça Criminal, além de educadores e voluntários participarão da transmissão on line e ao vivo de palestras e rodas de conversa sobre a leitura enquanto prática transformadora da educação pela libertação.


A jornada da leitura no cárcere é uma iniciativa da Fundação Observatório do Livro e da Leitura, com apoio do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), Ordem dos Advogados do Brasil – Seção São Paulo (OAB-SP) e Instituto Federal de São Paulo.


A iniciativa tem como principal objetivo difundir a prática da leitura por pessoas privadas de liberdade, apresentando iniciativas de todo o país. A jornada pretende ainda estimular a adesão de voluntários aos projetos de leitura nas unidades prisionais e aprimorar a formação dos agentes que já trabalham com o tema.


O uso da leitura para a remição de pena como caminho de redução do tempo de privação da liberdade já vem sendo aplicado pela Defensoria do Amazonas e teve início no Polo do Madeira, que tem sede no município de Humaitá. Por isso, a instituição foi convidada pelo coordenador Estadual do Programa Justiça Presente do CNJ, Ricardo Peres da Costa, a participar da jornada nacional. O projeto de remição pela leitura vem sendo desenvolvido pela equipe do Polo do Madeira desde 2019 e tem hoje 10 participantes de um total de 54 internos.


A participação da Defensoria na jornada ocorre com o acompanhamento das palestras e rodas de conversa pela equipe do Polo do Madeira, que se reúne na sede do polo, em Humaitá.


“O representante do CNJ no Amazonas entrou em contato porque ficou sabendo do projeto de remição pela leitura em Humaitá, onde temos cooperação com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Judiciário e Ministério Público (MP). Com essa jornada, vamos poder aprender um pouco mais sobre o que estamos fazendo na prática e compartilhar das histórias que estão sendo realizadas pelo Brasil inteiro”, afirma a defensora pública Gabriela Andrade, coordenadora do Polo do Madeira.




52 visualizações
INSTITUCIONAL
Please reload

DIÁRIO OFICIAL
Please reload

CONSELHO SUPERIOR
Please reload

LEGISLAÇÃO
SERVIÇOS
Please reload

IMPRENSA
Please reload

Please reload

Avenida André Araújo, nº 679 - Bairro Aleixo
CEP 69060-000 | Manaus - Amazonas