Defensoria lança série de lives para esclarecer dúvidas da população sobre direitos

A primeira transmissão ao vivo acontece no domingo (21) e será sobre violência obstétrica



A Defensoria Pública do Estado (DPE-AM) inicia, neste domingo (21), uma série de transmissões ao vivo no Instagram para levar educação em direitos aos internautas. O objetivo do projeto é colocar à disposição defensoras e defensores públicos para esclarecer dúvidas da população a respeito de seus direitos pela interação no perfil oficial da instituição na rede social (@defensoria.am).



A primeira live, que acontece às 18h, terá a participação da defensora pública Pollyana Vieira e do Humaniza Coletivo Feminista (@humanizacoletivo) para abordar a violência obstétrica. Diante da relevância do tema e dos diferentes modos de atuação da Defensoria em ações judiciais e extrajudiciais relacionadas, o debate também será pauta de outra live, na quarta-feira (24), às 20h, com a defensora pública Caroline Souza e o Humaniza.



Segundo o defensor geral do Amazonas, Ricardo Paiva, com as lives a Defensoria pretende popularizar o conhecimento sobre a legislação e os direitos do cidadão.



“Uma das funções institucionais da Defensoria é promover a difusão e a conscientização dos direitos humanos, da cidadania e do ordenamento jurídico. As lives são uma forma de cumprirmos esse papel de maneira efetiva. Isso porque combinamos essa iniciativa com a necessidade dos amazonenses, já que as lives serão pautadas pelas principais demandas dos nossos assistidos, como pensão alimentícia, direito do consumidor, entre outros serviços”, destaca.



A divulgação de datas e horários da lives será sempre feita no perfil oficial da DPE-AM no Instagram, que é o @defensoria.am. Durante as transmissões, os internautas que estiverem assistindo vão poder enviar perguntas relacionadas ao tema abordado.



Violência Obstétrica em debate



O Amazonas celebra neste domingo (21) o Dia Estadual de Combate à Violência Obstétrica. A data, que foi instituída no calendário local em projeto de lei de autoria da deputada Alessandra Campelo, motivou o tema das primeiras lives do novo projeto da DPE-AM.



A violência obstétrica é a que acontece no momento da gestação, parto ou pós-parto. Ela pode ser física, psicológica, verbal, simbólica ou sexual, além de negligência, discriminação e condutas excessivas, desnecessárias ou desaconselhadas, muitas vezes prejudiciais e sem embasamento em evidências científicas.





As transmissões ao vivo que abrem a série terão a mediação da presidente do Humaniza Coletivo Feminista, Rachel Geber Corrêa. O Humaniza é um grupo de mulheres que luta pela erradicação da violência obstétrica e por um atendimento digno e com respeito nas maternidades.

64 visualizações